VAMOS CANTAR!!!!Tumbalacatumba tumbatá

CANTANDO E IMITANDO
O QUE EU DIGO!!!!!!!!!!

Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate à uma
Todas as caveiras saem da tumba
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate às duas
Todas as caveira correm pra rua
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate às três
Todas as caveiras imitam um chinês
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate às quatro
Todas as caveiras imitam um sapo
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate às cinco
Todas as caveiras tocam o sino
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate às seis
Todas as caveiras falam francês
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate às sete
Todas as caveiras mascam chiclete
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate às oito
Todas as caveiras comem biscoito
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate às nove
Todas as caveiras se sacodem
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

Quando o relógio bate às dez
Todas as caveiras batem os pés
Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá
[REPETE DO COMEÇO]

Tumbalacatumba tumbatá
Tumbalacatumba tumbatá

WOO SING E O ESPELHO


Woo Sing e o Espelho

Um dia, o pai de Woo Sing chegou em casa com um espelho trazido da cidade grande.

Woo Sing nunca vira um espelho na vida. Dependuraram-no na sala enquanto ele estava brincando lá fora; quando voltou, não compreendeu o que era aquilo, pensando estar na presença de outro menino.

Ficou muito alegre, achando que o menino viera brincar com ele.

Ele falou muito amigavelmente com o desconhecido, mas não teve resposta.

Riu e acenou para o menino no vidro, que fazia a mesma coisa, exatamente da mesma maneira.

Então, Woo Sing pensou: "Vou chegar mais perto. Pode ser que ele não esteja me escutando." Mas quando começou a andar, o outro menino logo o imitou.

Woo Sing estacou e ficou pensando nesse estranho comportamento. E disse para si mesmo:

"Esse menino está zombando de mim; faz tudo o que eu faço!"

E quanto mais pensava, mais zangado ficava. E logo reparou que o menino estava zangado também.

Isso acabou de exasperar Woo Sing! Deu um tapa no menino, mas só conseguiu machucar a mão, e foi chorando até seu pai. Este lhe disse:

- O menino que você viu era a sua própria imagem. Isso deve ensinar você uma importante lição, meu filho. Tente não perder a cabeça com as outras pessoas. Você bateu no menino no vidro e só conseguiu machucar a si mesmo.

"E lembre-se: na vida real, quando você agride sem motivo, o mais magoado é você mesmo."

Extraído de: O Livro das Virtudes II - O Compasso Moral
William J. Bennet - Editora Nova Fronteira

A NUVEM TRISTE




A NUVENZINHA TRISTE
1-Vocês já olharam o céu? Já viram quantas nuvens? Elas são branquinhas como algodão. A sua casa é no céu. Lá moram muitas nuvens. Elas mudam de forma quando o vento sopra. Elas vão se ajuntando e se parecem com pessoas, animais, árvores, estrelas e com muitas coisas mais.
Mas havia uma nuvenzinha muito triste. Ela já estava cansada de ser nuvem. Ela não estava feliz por Deus tê-la criado sendo uma nuvem.

2- Então ela viu uma borboleta colorida voando, voando. E ela pensou:
- Eu poderia ser uma borboleta!
Ela se espichou daqui e dali e...

3- Logo se transformou numa borboleta. Que bom! Agora ela parecia com uma borboleta. Ela podia voar pra lá e pra cá. Mas, a borboleta não podia voar mais alto. E ela então se cansou de ser borboleta.


4- Mais tarde, ela viu um avião a jato voando pelos ares. E ela pensou:
- Eu poderia ser um avião a jato para viajar a muitos lugares!

5- E ela se espichou daqui e dali, transformando-se em um avião a jato. Agora sim ela poderia ser feliz. Afinal, agora ela poderia voar bem alto, conhecer muitos lugares, muitas pessoas. Mas, ela logo se cansou de voar, de ir para longe das outras nuvens. Ela ficava tão sozinha!

6- Então ela viu um balão colorido. Ela ficou impressionada com a altura que ele voava, era tão bonito e voava tão alto! As crianças riam e brincavam com ele, parecendo tão felizes!
A nuvenzinha resolveu então ser um balão.

7- Foi se espichando dali e daqui, até que se transformou num balão. E quando o vento soprava, o balão voava bem alto. Mas ela se cansou de ser balão. As crianças não se alegravam mais com ela!

8- E numa noite, ela viu a lua brilhando no céu. Ela também quis ser lua.

9- Espichou daqui e dali, ela se transformou numa lua bem bonita. Mas, a vida da lua não era muito boa. E, ela, se cansou de ser lua.
A nuvenzinha já estava desanimada por procurar ser tanta coisa e não conseguir ser feliz.
As outras nuvens começaram a conversar com ela, para saber a razão de sua tristeza. Então ela explicou que já havia transformado em tantas coisas e nada havia lhe trazido alegria.

10- Então ela começou a chorar. Suas lágrimas foram caindo, caindo... como gotinhas de água em cima da terra, do campo, das flores e logo o capim foi crescendo e ficando verdinho, as flores foram se abrindo alegrando o jardim.

11- E a nuvenzinha foi ficando alegre e compreendendo como era importante ser uma nuvenzinha. Ela já não queria ser outra coisa. A borboleta, o avião. O balão, a lua, cada um tinha sua função, cada um era importante.
Por isso devemos ser felizes como Deus nos fez. Nós somos importantes também.
A nuvenzinha descobriu como era maravilhoso ser uma nuvem. Deus criou a nuvenzinha para nos dar chuva, que molha a terra, o campo, dando alimento para as pessoas e os animais. Assim através de suas gotinhas ela descobriu que podia alegrar muita gente e se tornou feliz.


Aplicação:
Você criança, não deve fazer como a nuvenzinha. Ficar reclamando de como Deus te criou, querendo ser outras pessoas. Cada um de nós é importante. Mas, se ficarmos reclamando não vamos descobrir o nosso valor. Com certeza você pode dar muita alegria para a sua família, para os amiguinhos, para a igreja e principalmente para Deus.
Retirado do site: www.escoladominical.net/

Meu Querido Pintor!!!

LEGAL!!!! VAMOS COLORIR!!! BASTA CLICAR NA IMAGEM.

barika.swf bb.swf color01.swf color02.swf color03.swf

O DESEJO DE UMA CRIANÇA





O desejo de uma criança

Quando Gustavo nasceu, seu avô paterno presenteou sua mãe com um pequeno pássaro em uma gaiola. Acostumado a ter pássaros confinados em casa, ele não viu mal algum no presente.

Pelo contrário, ele disse à mãe do pequeno bebê que mantivesse o pássaro sempre em um lugar no qual fosse possível escutar seu canto, pois isso acalmaria a criança quando ela estivesse agitada.

O avô estava certo. A mãe costumava deixar a gaiola no corredor próximo ao quarto do bebê, algumas horas por dia, e percebia que, desde cedo, a criança fixava os olhos naquela direção sempre que o pássaro cantava.

Com o tempo, passou a sorrir ao escutar o canto da ave, e gostava de olhar para ela quando a mãe o segurava próximo. O avô e a mãe sentiam-se orgulhosos.

Gustavo cresceu acostumado ao canto do pássaro. Gostava de conversar com o passarinho. Conversas de criança.

Quando a ave morreu foi rapidamente substituída por outra, para que sua falta não fosse sentida.

Quando Gustavo contava quase quatro anos, tentou abrir a gaiola colocada em cima da mesa. Repreendido pela mãe, respondeu, em sua inocência, que o passarinho queria sair.

Pouco tempo depois, fez nova tentativa, e chegou a abrir a portinhola, sendo repreendido agora pelo pai. Entristeceu-se.

Em seu aniversário de seis anos, no momento em que apagava a vela do bolo, o desejo do garoto, dito em voz alta foi: Eu quero ver o passarinho voando.

Os convidados da família riram. Parecia apenas um capricho.

Mas a criança não desistiu. Resolveu perguntar ao pai por que o pássaro ficava preso em uma caixinha tão pequena. Estava decidido: queria soltá-lo.

O pai achou graça da insistência, e tentou lhe explicar que o pequeno animal não conseguiria comer sozinho. Ele sofreria, pois se voasse para longe não acharia o caminho de volta.

E Gustavo retrucou: Papai, e se ele encontrar a mamãe dele e ela der comida? Ele quer voar.

O pai então se comoveu, entendendo que o filho não compreendia o confinamento do pássaro, e que desejava mesmo libertá-lo.

Como explicar melhor para o garoto? Na verdade, ele era pessoalmente contra esse comércio de aves e as preferia soltas, mas nunca questionou a esposa.

Conversaram, pai e mãe, e resolveram comprar uma gaiola maior. Com mais espaço, o pássaro alçava pequenos voos que divertiam a criança.

Mas Gustavo nunca deixou de dizer que a ave queria ir embora.

Quando, mais tarde, o pequeno animal morreu, compraram um bebedouro para aves e passaram a deixar, na varanda, pedaços de frutas. Havia, diariamente, muitos pássaros da redondeza que comiam, bebiam e cantavam alegres. E livres.

O pequeno Gustavo ensinou aos pais uma lição importante: não temos o direito de tirar a liberdade de nenhum ser vivo, com a desculpa de nos dar prazer.

Todas as criaturas na Terra têm seu lugar e não cabe a nós mudá-lo apenas por capricho, sem necessidade. O desejo de posse por prazer revela a inferioridade do Espírito.

Respeitemos, pois, o lugar de cada um neste maravilhoso equilíbrio que é a natureza, para que também nós sejamos respeitados.

Redação do Momento Espírita.

Em 1405.2009.

AMO FANTOCHES


EU AMO FANTOCHES, POIS É MATÉRIA PRIMA PARA TODOS OS EDUCADORES, CONTADORES DE HISTÓRIAS, PAIS QUE GOSTAM DE CONTAR HISTÓRIAS PARA OS SEUS FILHOS E NETOS. NÃO PODIA DEIXAR DE COMPARTILHAR COM TODOS VOCÊS! SABE AQUELA PENEIRA VELHA? COLE LAÇOS , LÃ, OLHINHOS E PRONTO. ISSO É QUE É PURA MAGIA!!!!!!!!!!!!!!! CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.








SABE AQUELES PREGADORES DE ROUPA.....

CONHECEM PALITOS DE PICOLÉ?
OLHA SÓ NO QUE SE TRANSFORMARAM
UM VERDADEIRO SHOW!!!!!





















FÁBULA ILUSTRADA

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.
E VEJA QUE HISTÓRIA BELA,O PAVÃO E A GARÇA,
QUE LIÇÃO
DE MORAL BOA PARA TODOS NÓS!!!
ENSINA TAMBÉM A FAZER OS FANTOCHES.
ESPERO QUE GOSTEM!! BEIJOS NO CORAÇÃO!!

UMA PLANTINHA PARA VOCÊ!

Estou enviando uma plantinha para você.

Essa plantinha é chamada de AMIZADE!

Você deve regá-la dia após dia, com palavras de Carinho
e Sinceridade adubá-la com Respeito e Dedicação e

deixar que o sol do amanhecer ilumine e
aqueça suas raízes para que ela possa
crescer sempre forte e bonita!

Essa plantinha, quando nova aparenta pouca
importância, ou até mesmo sem vida.

Mas quando começa a crescer você percebe como
suas flores são lindas e suas raízes,

fortes e profundas... Por isso trate essa plantinha da amizade com muito
Amor e Carinho não deixando jamais
de adubá-la e regá-la.

POIS SE ISSO NÃO ACONTECER...

Ela poderá morrer, sem ao menos te dar a chance
de mostrar a essência mais linda que
essa planta possui...

A ESSÊNCIA DA VERDADEIRA AMIZADE!

EM ESPECIAL PARA MAIS DE 70.000 AMIGAS
QUE ME VISITAM. OBRIGADA!!!!!!!




Mãe e Pai vamos fazer!!!

Não a nada mais prazeroso do que brincar com seus filhos.
A brincadeira é recorte e colagem!!! É Fácil, Vamos, lá!
Basta seguir o passo a passo.
1-Clique na imagem para ampliar. Imprima e transfira o desenho para a cartolina.
2- Pinte nas cores que desejar!
3-recorte e cole.

Vamos Ajudar as Baleias do Ocenano Pacífico!

A GreenPeace convida-nos a participar na sua Campanha Send a Whale . O objectivo é pressionar o estado japonês para que este pare de matar baleias.

Como é que podes ajudar? É simples: cria a tua baleia, dá-lhe um nome e envia-la para o Japão.

Eu já fiz a minha. uallll! O número é 70470! Que número tão grande!!!


Clica na imagem e envia a tua Baleia!

De que esperas? E não te esqueças de pedires a toda a tua família e amigos para fazerem o mesmo!

Tudo bem ser diferente

Tudo bem ser diferente!


Este livro é ótimo para trabalhar as diferenças, além de ser lindo e super colorido!
As crianças adoram!!!
Tudo bem ser diferente
Todd Parr
Download AQUI

Orelha de Limão

Outro livro que fala das diferenças.
É uma linda história que nos ensina a conviver e respeitar as diferenças!
Orelha de limão
Katja Reider
Editora Brinque-Book
Download AQUI

OBÁ!!! 3 SELINHOS


É com grande alegria que recebo mais 3 selinhos da nossas amigas
Géssica e Krika

http://nossosprojetoseideias.blogspot.com/










As regrinhas são:1-Exibir a imagem do Selo no seu Blog 2-Linkar e comentar no Blog de quem te convidou 3-Repassar para 5 Blogs no mínimo.

Então vai a minha admiração para os seguintes blogs:

http://verefazer.blogspot.com/

http://luxodolixo.blogspot.com/

http://tesouraepapel.blogspot.com/

http://amocraft.blogspot.com/

http://olhaoquevinoeducanaweb.blogspot.com/






A FIGUEIRA

A Figueira Estéril
Tema Evangélico

Em uma chácara bem formada, o dono tinha muitos pés de fruta. Havia ali laranja, banana, abacate, caju e figueiras.

Uma das figueiras, já fazia três anos que não produzia frutos. O dono da chácara não gostou e chamou seu empregado e mandou que este cortasse a figueira porque ela estava ocupando inutilmente lugar na Terra. Naquele lugar, poderia estar plantada uma outra planta frutífera.

O empregado respondeu: Senhor, deixe-a para mais este ano, até que eu cave em volta dela e lhe deite adubo. Muito bem, disse o dono: faça isso, mas se não der certo, terás que cortá-la.

Como as plantas, nós as criaturas humanas não devemos existir inutilmente e ocupar lugar na sociedade. Cada qual tem a sua função e deve dar o melhor de si, porque sabemos que somos um espírito encarnado com uma finalidade específica na presente encarnação.
Exemplo: O professor deve estar cheio de amor pela sua profissão e pelos seus alunos.
A dona de casa, (rainha do lar) deve ser verdadeiro primor de missionaria. "segundo a querida Meimei"

Mulher: Missionaria da vida
Ampara o homem, para que o homem te ampare.

Não te conspurques no vicio e nem te mergulhes no prazer.

A felicidade na Terra, depende de ti como o fruto depende da árvore.

Mãe, se o Anjo do Lar.
Esposa, auxilia sempre.
Companheira, acende o lume da esperança
Irmã, sacrifica-te e ajuda.
Mestra orienta o caminho.
Enfermeira, compadece-te.
Fonte sublime, se as feras do mal te poluíram as
Águas, imitam a corrente cristalina, que no serviço infatigável a todos, expulsa do próprio seio a lama que lhe atiram. Por mais que te aflijam as dificuldades, não te confies à tristeza ou ao desanimo. Lembra os órfãos, os doentes, os velhos e os desvalidos da estrada que esperam pelos teus braços e sorri com serenidade para a luta. Deixa que o trabalho, tanja as cordas sensíveis do teu.
Sentimento, para que não falte a música da harmonia às pedregosas trilhas da existência terrestre. Teu coração mulher, é Uma Estrela encarcerada. Não lhe apague a Luz para que o amor resplandeça sobre as trevas. Eleva-te, elevando-nos. Não te esqueças de que trazes nas mãos a chave da vida e que a chave da vida é a gloria de Deus.

"MEIMEI".

AS PALAVRAS MÁGICAS

As Palavras Mágicas"

hist14_01.jpg (48532 bytes) Dona Paula estava muito preocupada com seu sobrinho Gilberto, que havia chegado de fora há pouco dias. Não que ele fosse um menino desobediente, nem um menino muito travesso. Não era. Pelo contrário, obediente e bem comportado.

hist14_02.jpg (29977 bytes) Mas, Gilberto não era um menino amável, atencioso... Nunca dizia "muito obrigado" a ninguém, não cumprimentava as pessoas, nem pedia as coisas com delicadeza.


hist14_03.jpg (37775 bytes) Se entrava num taxi com a titia, embora ela cumprimentasse o motorista com gentileza, ficava em silêncio ou então ordenava:
- Ande ligeiro! Bem depressa!...
Se andava num elevador, empurrava os outros e nunca pedia licença. Não era gentil com ninguém.
Resultado: o dono do armazém nunca lhe dava uma bala, o que costumava fazer com as outras crianças; os motoristas de taxi não olhavam para ele com simpatia; e as pessoas que encontravam no elevador não lhe diziam uma palavrinha gostosa ou, pelo menos lhe davam um sorriso amável.
Natural, pois, que titia Paula andasse preocupada.
hist14_04.jpg (48044 bytes) Um dia, Gilberto entrou na cozinha e viu que a tia estava se preparando para fazer um bolo. Então disse logo:
- Eu quero um bolo só para mim.
- Pode ser... respondeu a tia Paula - Mas, ante, você terá que dizer umas palavras mágicas. Se você disser, eu farei o bolinho.
Gilberto ficou pensando que palavras mágicas seriam estas. Mas, logo se lembrou de uma estória que vovô havia lhe contado. Por isso, gritou:
- Abracadabra! Abracadabra!
- Não, não são estas as palavras mágicas – disse a tia, sorrindo.
- Não?? - Gilberto pensou, pensou...
- Balabalabla! Balabalabla! - tornou a gritar.
Dona Paula sacudiu a cabeça.
- Não, também não são estas.
- Dipo dipodóclus! Dipo diodóclus!
- Não, não! – disse ainda a tia, achando graça das invenções do sobrinho.
Gilberto não sabia o que dizer. Pensou... pensou... Então, desanimado pediu:
- Por favor, tia Paula, quais são as palavras mágicas?
E muito surpreendido, ouviu a titia dizer:
- Viva! Você já disse as palavras mágicas. Pronto! Vou fazer um bolinho só para você.
O menino ficou admirado. Depois, lembrou-se. E, muito contente, falou:
- "Por favor"... então são estas as palavras mágicas, que conseguem tudo?
Tia Paula disse que sim e ensinou ainda outras palavras mágicas que fazem com que todo o mundo gosto da gente.
hist14_05.jpg (43435 bytes) Gilberto ouviu tudo com muita atenção e prometeu não se esquecer mais das tais palavras mágicas. E começou a cumprir sua palavra, pois quando a tia lhe deu um lindo bolinho, bem cheiroso, ele, muito gentil, falou, sorrindo:
- Muito obrigado, tia Paula. Muito obrigado!

A CHUVA


  1. Havia passado o dia inteiro com sua mãe, numa grande loja. Essa bela ruiva, com rosto sardento, clara imagem da inocência, não devia ter mais do que 6 anos.
  2. Quando se dispunham a abandonar a loja, estava chovendo canivetes. Aquela chuva que de tão forte, você consegue ver a distância entre um pingo e o outro… nem sequer consegue ver quando cai no chão…
  3. Todos ficamos em frente à porta, protegidos da chuva. Estavamos aguardando, alguns pacientemente, e outros irritados porque a natureza estava estragando a sua pressa rotineira.
  4. Sempre gostei de chuva. Fico olhando para os céus, lavando a sujeira e a poeira deste mundo. E ao mesmo tempo, as lembranças da infância correndo embaixo da chuva, são bem-vindas como um jeito de aliviar todas as minhas preocupações.
  5. A voz dessa pequena era tão doce que me tirou da minha hipnose com esta inocente frase: \"Mamãe, vamos correr na chuva!\". \"Mamãe, vamos correr na chuva!\". \"Sim, mamãe... Mamãe, vamos correr na chuva! \". \"Não querida… Vamos esperar que a chuva pare\", Respondeu a mãe pacientemente...
  6. A menina aguardou mais um minuto e repetiu: “Mamãe, vamos correr na chuva!\" E a mãe disse: “Mas se o fizermos vamos ficar encharcadas…\"
  7. \"Não mamãe, não vamos nos molhar. Não foi isso que você disse hoje ao papai...\" Foi a resposta da menina, enquanto falava segurando no braço da mãe… “Nesta manhã? Quando eu disse que podemos correr na chuva e não nos molharmos?\"
  8. “Você não se lembra? Quando você falou com o papai sobre o câncer dele, você disse que se Deus faz com que possamos passar através disso, podemos atravessar qualquer coisa\".
  9. Todos ficamos em silêncio absoluto. Eu juro que não se ouvia nada além da chuva. Ficamos em pé, silenciosamente. Ninguém entrou nem saiu da loja nos minutos que se seguiram. A mãe parou para pensar por um momento sobre o que deveria responder. Esse era um momento crucial na vida daquela garotinha, um momento em que a inocência e a confiança podiam ser motivadas, para que no futuro pudessem florescer numa fé inabalável…
  10. “Meu amor, você tem razão. Vamos correr na chuva. E se Deus permite que fiquemos encharcadas, pode ser que Ele saiba que precisamos duma lavadinha\"... E saíram correndo...
  11. Todos nós ficamos olhando para elas, rindo enquanto iam correndo pelo estacionamento, pisando em todas as poças d’água.
  12. É claro que ficaram encharcadas, mas não foram as únicas...
  13. Alguns as seguiram, rindo como crianças, enquanto iam até os seus carros. É verdade, eu também corri. E também é verdade que fiquei encharcada… certamente Deus achou que eu precisava de uma lavadinha.
  14. As circunstâncias ou as pessoas podem nos tirar as nossas posses materiais, podem levar o nosso dinheiro, e podem levar a nossa saúde. Mas ninguém pode nos tirar as posses mais valiosas: NOSSAS LEMBRANÇAS!
  15. Então não esqueça de tirar tempo e de ter uma chance para se encher de lembranças a cada dia. Um amigo me enviou isto para me fazer lembrar do seguinte: “Cada lembrança é um tijolo que constrói a minha vida”.
  16. Tire às vezes um tempinho para correr na chuva! TIRE UM TEMPO PARA VIVER!
  17. E não esqueça: Às vezes Deus quer lhe dar uma “encharcadinha”. Mas jamais vai lhe deixar sozinho. E se Ele permitiu que você passe por tormentas em sua vida… Tenha a certeza de que também vai passar por esta, e a outra, e a próxima… Após cada uma delas, você vai ver de novo o Seu amor em cada arco-íris.
  18. Texto da rede. sonialilianafio@yahoo.com.ar

SELINHO FOFO!

OBÁ, GANHEI MAIS UM!!!!
Olha que selinho fofo!
Ganhei da minha amiga Sandra
Amigo é todo aquele que traz amor
em seu coração. Obrigada por sua amizade!




As regrinhas são simples, vamos a elas:
1-Exibir a imagem do Selo no seu Blog
2-Linkar e comentar no Blog de quem te convidou
3-Repassar para 5 Blogs no mínimo

Eu repasso para:

Nina- http://projetoscomarte.blogspot.com/

http://anjinhosdepijama.blogspot.com/

http://abracealiteratura.blogspot.com/

http://contosdeoutono.blogspot.com/

Devanir-http://cantinhodadezinha.blogspot.com/


;;