O Mede-Palmo Arrependido


Evangelizadora: Salette Aparecida dos Reis Santana.

Era uma vez um mede-palmo que não acreditava em Deus.

Ele vivia num bosque junto com outros bichinhos.

O mede-palmo é um bichinho parecido com uma lagarta que tem esse nome porque quando anda, parece estar medindo distâncias.

Nosso amiguinho mede-palmo se chamava Serafim, e como disse antes, não acreditava em Deus.

Era só algum bichinho dar "graças a Deus" por alguma coisa e ele retrucava:

- "Graças a Deus!" Como podes acreditar em algo que nunca foi visto. Como podes saber se Deus existe!

Um dia, Serafim estava andando em seu passo compassado: "Junta os pés, mede um palmo, estica; junta os pés ..." quando de repente bateu a cabeça nas pernas do Leão Jujuba.

- Cuidado Serafim! Graças a Deus o meu pêlo é macio, pois o contrário, você teria se machucado - disse o leãozinho.

- Lá vem você de novo com essa história de Deus. Deus não existe. Se não me feri, foi por pura sorte! - retrucou Serafim.

- Filho de Deus! Olhe a sua volta.

- Não me chame de filho de Deus, ele não existe.

- Insisto Serafim, olhe a sua volta, observe tudo com atenção - insistiu o leão.

- Não vejo nada demais, apenas a floresta, as flores, algumas nuvens no céu e a capivara bebendo água - disse Serafim.

- Tudo o que vês é obra de Deus. Ele é justo, infinitamente bom. Fez você, eu e tudo a seu redor. - Disse o leão docemente.

- Ah! Tudo isso é balela! Quer saber? Vou-me embora, tenho trabalho para realizar.

E Serafim saiu apressado em seu passo compassado, junta os pés, mede-palmo, estica. Nem deu tempo para Jujuba avisá-lo que o rio estava cheio e agitado por causa da chuva da noite anterior. Agoara o mede-palmo Serafim se aproximava do rio.

De repente, sem perceber como, Serafim caiu no rio e começou a se afogar. Ele se debatia, gritava por socorro, mas como era muito pequeno, ninguém podia ouvi-lo.

Cansado e já sem forças, lembrou-se das palavras do leão e, pela primeira vez em sua vida, orou:

- Deus, me socorra, não quero morrer!

Naquele mesmo instante, um galhinho apareceu a sua frente. Ele se agarrou nele como podia. Boiou por alguns minutos até que Jujuba chegou às margens do rio e retirou com a boca o galhinho onde estava Serafim.

Então Serafim chorando pediu ao leãozinho:

- Jujuba, me ensine a orar. Hoje eu descobri que Deus realmente existe. Estou arrependido e quero pedir perdão a Ele.

- Estou certo que Ele já te perdoou. E quanto a orar, fale com Deus de coração aberto e Ele te escutará.

Serafim orou com todo o seu coração:

- Obrigado meu Deus pela vida que me deste, pelos amigos que conheço e por ser tão bom com um filho imperfeito como eu.

À partir desse dia, Serafim se transformou, ele agora não só crê em Deus, como auxilia a todos no bosque levando aos corações rebeldes o amor de Deus.
Vera Stefanello

0 comentários: