LIVRAI-NOS DO MAL PORQUE TEU È O REINO, O PODER E A GLORIA PARA TODO O SEMPRE...ASSIM SEJA.

O Senhor livrar-nos-a do mal; entretanto, é preciso de que desejemos não errar. Que dizer de um homem que pedisse socorro contra um incêndio, lançando gasolina à fogueira? O reino da vida, em todas as suas notas de grandeza, pertence a deus. Todo o Poder e toda a gloria do Universo, todos os recursos e todas as possibilidades da existência são a Providencia Divina, mas, em nosso circulo de ação, a vontade é nossa. Se não ligarmos nossos desejos à lei do bem que procede do Céu, representando para nós a vontade Paterna, não podemos aguardar harmonia e contentamento para o nosso coração.

Nas sombras do egoísmo, estaremos sozinhos, aflitos, perturbados e desalentados, porque egoísmo que dizer felicidade somente para nós, contra a felicidade dos outros. Deus permitiu que vontade seja um patrimônio nosso, a fim de que possamos adquirir a liberdade e a grandeza, o amor e a sabedoria, por nós mesmos, como filhos da sua infinita bondade. Por isso, se somos escravos das nossas criações que, por vezes, gastamos muito tempo a retificar, continuamos sempre livres para desejar e imaginar, sabendo que qualquer serviço ou realização começa em nossos sentimentos e nossos pensamentos. Saibamos desse modo, conservar a nossa vontade

À luz da consciência reta, porque, rogando a Deus nos liberte do mal, é preciso, por nossa vez, procurar o caminho do bem.

O EXEMPLO DA FONTE

Um instrutor, disse ao estudante da sabedoria: Veja o exemplo da fonte, que auxilia a todos sem perguntar e que nunca se detém até alcançar a grande comunhão com o oceano. Junto dela Crescem plantas de toda sorte, e em suas águas bebem animais de todos os tipos e feitios.

Enquanto caminhavam, um pequeno atirou duas pedras à corrente do rio e as águas as engoliram em silêncio, prosseguindo para adiante. Reparou?

Disse o mentor amigo, a fonte não se insurgiu contra as pedras. Recebeu-as com paciência e seguiu trabalhando. Mais a frente, viram grosso canal de esgoto, arremessando detritos no corpo alvo das águas, mas a corrente absorvia o lodo escuro, sem reclamações e avançava sempre. O professor, comentou para o aprendiz: A fonte não se revolta com a lama que se lhe atiram à face. Recolhe-a sem gritos e transforma-a em benefícios para a Terra necessitada de adubos.

Adiante ainda, que, enquanto andorinhas se banhavam lépidas, feios sapos, penetravam a corrente e pareciam contentes e alegres em saltitantes mergulhos. As águas amparavam a todos sem a mínima queixa. O bondoso mentor terminou: Assinalemos o exemplo da fonte e aprenderemos a libertar-nos de qualquer cativeiro, porque em verdade, só aqueles que marcham para diante, com o trabalho que Deus lhe confia, sem se ligarem às sugestões do mal, conseguem vencer dignamente na vida, garantindo, em favor de todos, as alegrias da vida.

0 comentários: