OUTRAS HISTÓRIAS

ALGO MAIS

Um crente sincero na bondade do Céu, desejando apreender como colaborar na construção do reino de Deus, pediu certo dia ao Senhor a graça de compreender os propósitos divinos, saiu para o campo. De início encontrou com o vento que cantava e o vento lhe disse: Deus mandou que eu ajudasse as sementeiras e varresse os caminhos, mas eu gosto também de cantar embalando os doentes e as criancinhas

Em seguida o devoto surpreendeu uma flor que inundava o ar com seu perfume, e a flor lhe contou: Minha missão é preparar o fruto, entretanto produzo também o aroma que perfuma até mesmo os lugares mais impuros. Logo o homem estacou ao pé de grande árvore, que protegia um poço de água, cheio de rãs, e a árvore lhe falou: Confia-me o Senhor a tarefa de auxiliar o homem, contudo creio que devo amparar igualmente as fontes os pássaros e os animais. O visitante fixou os feios batráquios e fez um gesto de repulsa, mas a árvore continuou: Estas rãs são nossas amigas. Hoje posso ajudá-las, mas depois serei ajudada por elas, na defesa de minhas próprias raízes, contra os vermes da destruição e da morte. O devoto compreendeu o ensinamento e seguiu adiante, atingindo uma grande cerâmica....acariciou o barro que estava sobre a mesa que lhe disse: Meu trabalho é o de garantir o solo firme, mas obedeço ao oleiro e procuro ajudar na residência do homem, dando forma a tijolos telhas e vasos. Então o devoto regressou ao lar e compreendeu que para servir na edificação do reino de Deus é preciso ajudar aos outros, sempre mais, e realizar, cada dia, algo mais do que seja justo fazer.

FÉ E PERSEVERANÇA

Três rapazes suspiravam por encontrar o Senhor, a fim de fazer-lhes rogativas. Depois de muitas orações, eis que no campo em que trabalhavam, apareceu-lhes o carro do Senhor, guiado pelos anjos. O Divino amigo, pôs-se a ouvi-los. Os três ajoelharam-se em lágrimas de júbilo e o primeiro implorou a Jesus, o favor da riqueza. O Mestre atencioso, determinou que um dos anjos lhe entregasse enorme tesouro em moedas. O segundo suplicou a beleza perfeita e o Celeste Benfeitor, mandou que um dos servidores lhe desse um milagroso ungüento a fim de que a formosura lhe cobrisse o rosto. O terceiro exclamou com fé: Senhor, eu não sei escolher... Dá-me o que for justo, segundo a tua vontade. O Mestre sorriu e mandou que lhe entregassem uma grande bolsa. Em seguida abençoou-os e partiu... O moço que recebera a bolsa abriu-a, ansioso, mas Ho! Desencanto... Ela continha simplesmente uma enorme pedra. Os companheiros riram-se dele, supondo-o ludibriado, mas o jovem afirmou a sua Fe no Senhor, levou consigo a pedra e começou a desbastá-la, procurando, procurando...

Depois de algum tempo, chegou ao coração do endurecido e encontrou ali um soberbo diamante. Com ele adquiriu grande fortuna e com a fortuna construiu uma casa onde os doentes pudessem encontrar refugio e alivio em nome do Senhor. Vivia feliz, cuidando de seu trabalho, quando um dia, dois enfermos bateram a porta. Não teve dificuldade em reconhecer, eram os dois antigos colegas de oração, que haviam-se com o ouro e a beleza, adquirido apenas doenças e cansaço, misérias e desilusões. Abraçaram-se chorando de alegria e, nesse instante, o Divino Amigo apareceu entre eles e falou: Bem aventurados todos aqueles que sabem aproveitar, as pedras da vida, porque a fé e a perseverança no bem, são os dois grandes alicerces do Reino de Deus

0 comentários: